Conforme já tínhamos sinalizado no eBook Cenários e Investimentos 2018, a aprovação da Reforma da Previdència é muito importante para a recuperação sustentável da economia brasileira. Sem ela, a situação fiscal fica comprometida e poderiam ocorrer novas reduções de risco pelas agências de rating.

Em janeiro, foi a Standard and Poor´s que rebaixou o rating soberano do Brasil alegando as incertezas do ano eleitoral, além da questão fiscal, com os atrasos nas reformas. Agora foi a vez da Fitch, que reduziu a classificação do país de BB para BB-, com perspectiva estável. Entre os motivos estão a persistência do déficit fiscal, o crescimento do já alto endividamento do governo e o fracasso das reformas legislativas.

Apesar do negativo da notícia, entendemos que o mercado já estava colocando nos preços estes rebaixamentos e, consequentemente, não haverá impacto nos investimentos, pelo menos no curto prazo.

Assim sendo, mantemos a recomendação de diversificação com 30% a 60% em renda fixa, entre 10% e 40% em fundos de ações, e o restante em fundos multimercado. No momento, nos mantemos atentos aos fatores de risco para, caso ocorra qualquer mudança de perspectiva para um prazo mais longo, revisarmos nossas recomendações.